domingo, 31 de outubro de 2010

Origem da expressão "tirar o cavalo da chuva"

Ninguém sabe ao certo, mas ela provavelmente surgiu no Brasil quando o cavalo ainda era o meio de transporte mais comum. Para alguns, a origem estaria no costume de amarrar a montaria na frente das casas. Quando o animal de um visitante era preso sob a varanda ou outro lugar protegido, era um sinal de que ele pretendia demorar na visita, o que era considerado uma indiscrição. "Algumas vezes, porém, o dono da casa tomava gosto pela prosa. Nesse caso, quando a visita esboçava partir, ele avisava: ‘Pode tirar o cavalo da chuva’", afirma o filólogo José Pereira da Silva, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Seria o mesmo que dizer: "Amarre seu animal em local protegido para que nossa conversa possa continuar calmamente".
Mas como esse sentido original acabou se alterando para "desistir de alguma coisa" ou "perder as esperanças"? O etimologista Deonísio da Silva, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), acredita que a expressão teria nascido no sul do país, com o hábito gaúcho de recolher o cavalo no galpão, se houvesse sinal de chuva prolongada, quando chegava num armazém para fazer compras. "Isso explica o sentido atual da expressão, que indica que a solução de um problema vai demorar", diz Deonísio.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Estadão: O mal a evitar

25 de setembro de 2010 | 17h 02
A acusação do presidente da República de que a Imprensa "se
comporta como um partido político" é obviamente extensiva a
este jornal. Lula, que tem o mau hábito de perder a
compostura quando é contrariado, tem também todo o direito
de não estar gostando da cobertura que o Estado, como quase todos os órgãos de
imprensa, tem dado à escandalosa deterioração moral do governo que preside. E muito
menos lhe serão agradáveis as opiniões sobre esse assunto diariamente manifestadas
nesta página editorial. Mas ele está enganado. Há uma enorme diferença entre "se
comportar como um partido político" e tomar partido numa disputa eleitoral em que
estão em jogo valores essenciais ao aprimoramento se não à própria sobrevivência da
democracia neste país.
Com todo o peso da responsabilidade à qual nunca se subtraiu em 135 anos de lutas, o
Estado apoia a candidatura de José Serra à Presidência da República, e não apenas pelos
méritos do candidato, por seu currículo exemplar de homem público e pelo que ele pode
representar para a recondução do País ao desenvolvimento econômico e social pautado
por valores éticos. O apoio deve-se também à convicção de que o candidato Serra é o que
tem melhor possibilidade de evitar um grande mal para o País.
Efetivamente, não bastasse o embuste do "nunca antes", agora o dono do PT passou a
investir pesado na empulhação de que a Imprensa denuncia a corrupção que degrada seu
governo por motivos partidários. O presidente Lula tem, como se vê, outro mau hábito:
julgar os outros por si. Quem age em função de interesse partidário é quem se
transformou de presidente de todos os brasileiros em chefe de uma facção que tanto mais
sectária se torna quanto mais se apaixona pelo poder. É quem é o responsável pela
invenção de uma candidata para representá-lo no pleito presidencial e, se eleita, segurar o
lugar do chefão e garantir o bem-estar da companheirada. É sobre essa perspectiva tão
grave e ameaçadora que os eleitores precisam refletir. O que estará em jogo, no dia 3 de
outubro, não é apenas a continuidade de um projeto de crescimento econômico com a
distribuição de dividendos sociais. Isso todos os candidatos prometem e têm condições de
fazer. O que o eleitor decidirá de mais importante é se deixará a máquina do Estado nas
mãos de quem trata o governo e o seu partido como se fossem uma coisa só, submetendo
o interesse coletivo aos interesses de sua facção.
Não precisava ser assim. Luiz Inácio Lula da Silva está chegando ao final de seus dois
mandatos com níveis de popularidade sem precedentes, alavancados por realizações das quais ele e todos os brasileiros podem se orgulhar, tanto no prosseguimento e aceleração
da ingente tarefa - iniciada nos governos de Itamar Franco e Fernando Henrique - de
promover o desenvolvimento econômico quanto na ampliação dos programas que têm
permitido a incorporação de milhões de brasileiros a condições materiais de vida
minimamente compatíveis com as exigências da dignidade humana. Sob esses aspectos o
Brasil evoluiu e é hoje, sem sombra de dúvida, um país melhor. Mas essa é uma obra
incompleta. Pior, uma construção que se desenvolveu paralelamente a tentativas quase
sempre bem-sucedidas de desconstrução de um edifício institucional democrático
historicamente frágil no Brasil, mas indispensável para a consolidação, em qualquer
parte, de qualquer processo de desenvolvimento de que o homem seja sujeito e não mero
objeto.
Se a política é a arte de aliar meios a fins, Lula e seu entorno primam pela escolha dos
piores meios para atingir seu fim precípuo: manter-se no poder. Para isso vale tudo:
alianças espúrias, corrupção dos agentes políticos, tráfico de influência, mistificação e,
inclusive, o solapamento das instituições sobre as quais repousa a democracia - a começar
pelo Congresso. E o que dizer da postura nada edificante de um chefe de Estado que
despreza a liturgia que sua investidura exige e se entrega descontroladamente ao
desmando e à autoglorificação? Este é o "cara". Esta é a mentalidade que hipnotiza os
brasileiros. Este é o grande mau exemplo que permite a qualquer um se perguntar: "Se ele
pode ignorar as instituições e atropelar as leis, por que não eu?" Este é o mal a evitar.


Texto publicado na seção "Notas e Informações" da edição de 26/09/2010
Editorial: O mal a evitar - Estadao.com.br http://www.estadao.com.br/noticia_imp.php?req=geral,editorial...
2

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

O direito ao "Foda-se!"

O nível de stress de uma pessoa é inversamente proporcional é quantidade de “foda-se!” que ela fala. Existe algo mais libertário do que o conceito do “foda-se!”? O “foda-se!” aumenta minha auto-estima, me torna uma pessoa melhor. Reorganiza as coisas. Me liberta. “Não quer sair comigo? Então foda-se!”. “Vai querer decidir essa merda sozinho(a) mesmo? Então foda-se!”

O direito ao “foda-se!” deveria estar assegurado na Constituição Federal.

Os palavrões não nasceram por acaso. São recursos extremamente válidos e criativos para prover nosso vocabulário de expressões que traduzem com a maior fidelidade nossos mais fortes e genuínos sentimentos. É o povo fazendo sua língua. Como o Latim Vulgar, será esse Português Vulgar que vingará plenamente um dia.

“Pra caralho”, por exemplo. Qual expressão traduz melhor a idéia de muitaquantidade do que “pra caralho”? “Pra caralho” tende ao infinito, é quase uma expressão matemática. A Via-Láctea tem estrelas pra caralho, o Sol é quente pra caralho, o universo é antigo pra caralho, eu gosto de cerveja pra caralho, entende?

No gênero do “Pra caralho”, mas, no caso, expressando a mais absoluta negação, está o famoso “Nem fodendo!” O “Não, não e não!” e tampouco e nada eficaz e já sem nenhuma credibilidade “Não, absolutamente não!” o substituem.

O “Nem fodendo!” é irretorquível e liquida o assunto. Te libera, com a consciência tranqüila, para outras atividades de maior interesse em sua vida. Aquele filho pentelho de 17 anos te atormenta pedindo o carro pra ir surfar no litoral? Não perca tempo nem paciência. Solte logo um definitivo “Marquinhos, presta atenção, filho querido, NEM FODENDO!”. O impertinente se manca na hora e vai pro Shopping se encontrar com a turma numa boa e você fecha os olhos e volta a curtir o CD do Lupicínio.

Por sua vez, o “porra nenhuma!” atendeu tão plenamente as situações onde nosso ego exigia não só a definição de uma negação, mas também o justo escárnio contra descarados blefes, que hoje é totalmente impossível imaginar que possamos viver sem ele em nosso cotidiano profissional. Como comentar a gravata daquele chefe idiota senão com um “é PHD porra nenhuma!” ou “ele redigiu aquele relatório sozinho porra nenhuma!”.

O “porra nenhuma”, como vocês podem ver, nos provê sensações de incrível bem estar interior. É como se estivéssemos fazendo a tardia e justa denúncia pública de um canalha.

São dessa mesma gênese os “aspone”, “chepone”, “repone” e mais recentemente o “prepone” - presidente de porra nenhuma.

Há outros palavrões igualmente clássicos. Pense na sonoridade de um “Puta que pariu!”, ou seu correlato “Pu-ta-que-o-pa-riu!!!”, falados assim, cadenciadamente, sílaba por sílaba.

Diante de uma notícia irritante qualquer um “puta-que-o-pariu!” dito assim te coloca outra vez em seu eixo. Seus neurônios têm o devido tempo e clima para se reorganizar e sacar a atitude que lhe permitirá dar um merecido troco ou o safar de maiores dores de cabeça.

E o que dizer de nosso famoso “vai tomar no cu!”? E sua maravilhosa e reforçadora derivação “vai tomar no olho do seu cu!”. Você já imaginou o bem que alguém faz a si próprio e aos seus quando, passado o limite do suportável, se dirige ao canalha de seu interlocutor e solta: “Chega! Vai tomar no olho do seu cu!”. Pronto, você retomou as rédeas de sua vida, sua auto-estima.

Desabotoa a camisa e sai à rua, vento batendo na face, olhar firme, cabeça erguida, um delicioso sorriso de vitória e renovado amor-íntimo nos lábios.

E seria tremendamente injusto não registrar aqui a expressão de maior poder de definição do Português Vulgar: “Fodeu!”. E sua derivação mais avassaladora ainda: “Fodeu de vez!”. Você conhece definição mais exata, pungente e arrasadora para uma situação que atingiu o grau máximo imaginável de ameaçadora complicação?

Expressão, inclusive, que uma vez proferida insere seu autor em todo um providencial contexto interior de alerta e auto-defesa. Algo assim como quando você está dirigindo bêbado, sem documentos do carro e sem carteira de habilitação e ouve uma sirene de polícia atrás de você mandando você parar: O que você fala? “Fodeu de vez!”.

“Liberdade, igualdade, fraternidade e foda-se!!!”


A autoria deste texto é um mistério. A maioria dos sites dizem ser escrito pelo Millôr Fernandes, mas não é certeza. O que interessa é que o texto é muito bom e mostra uma realidade, por mais que moralistas critiquem, é praticamente impossível viver sem palavrões. O palavrão serve como uma válvula de escape da tensão! Lógico que assim como tudo, o exagero não é recomendável. Se de cada dez palavras, nove for palavrão fica dificil estabelecer qualquer diálogo.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Brasil segundo regiões

Já recebi algumas vezes pore-mail, achei divertido e resolvi procurar mais e postar aqui...

Vamos começar pelos queridos "GRINGOS"


Agora por ordem de "subida" rsrs...

MAPA BRASILEIRO NA VISÃO DO GAÚCHO:











NA VISÃO DOS CATARINENSES:
PARANAENSES:


CARIOCAS:

















PARAENSES:

Nada contra outros estados, apenas não encontrei de todas as regiões...
Então, os mapas estão "certos"???? rsrsrs. Comenta! ;)

Um abraço à todos!!

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Aprenda a chutar...

Quem nunca passou por uma dificuldade em uma prova dificílima, ou até mesmo em vestibular?
Ficar na dúvida entre questões, ou até mesmo não fazer ideia do que se trata a questão é bem normal.
"Seus problemas acabaram!" (momento frase clichê) Não... Não acabaram, mas esse vídeo pode ajudar... Faz sentido!



Mas lembrem: O IDEAL É ESTUDAR! rsrs.

Um abraço à todos!

Ps.: Nem me perguntem como achei esse vídeo...

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Desenhos da minha infância: Power Rangers

Sessão nostalgia total pessoas, ontem, assistindo atualizações de um vloger, na qual falava sobre Power Rangers, me veio a cabeça vários desenhos que fui fã, e confesso que alguns deles sou fã até hoje, digamos que: ''quem foi mangaká um dia, sempre terá um mangaka escondido dentro de si.''

Vou começar falando de Power Rangers, sempre fui fascinado por esse tipo de história, cinco jovens eram escolhidos para lutar contra as forças do mal, e para esses cinco eram concedido o poder de se transformar em Rangers, cada um com uma cor, cada um representando um animal, carro ou algo do tipo. As cores tradicionais, dos primeiros, e melhores Rangers eram: Vermelho (o líder), a Rosa, a Amarela, o Azul e o Preto. Sempre existia um especial, que aparecia, mais ou menos, no meio da temporada que era a sensação entre os espectadores, e, sempre tinha um mistério o envolvendo, geralmente era o branco, o prateado, ou uma cor de destaque.

Em minhas brincadeiras nunca gostei de ser o vermelho, achava ele o mais fraco, mesmo ele sendo o líder, acho que escolhia pela minha preferência de cores. Tive o privilegio de ter os bonecos de cada um deles, isso era, de certa forma, fácil, porem, meu sonho era ter o Mega Zord, que se desmontasse em seus animais, minha infância inteira passei fazendo uma busca incansável dele, porem, só quando fiz 13 anos encontrei um, nessa época já estava parando de brincar, porem, comprei, brinquei, me diverti MUITO e claro, quando entrei na fase jovem, minha mãe deu meu Mega Zord para uma família humilde, e os filhos deles ficaram deslumbrados com o presente.

Assistam ainda a abertura clássica da primeira temporada clicando AQUI!

E você? Qual desenho que marcou sua infância?

Até a próxima!

domingo, 15 de agosto de 2010

Ritmos que embalam: PAGODE

Sempre que falo em pagode sinto um certo preconceito de algumas pessoas...
Eu amo música e gosto de quase todos os ritmos musciais, entre eles, está o pagode.
Pagode é um ritmo que deriva do samba e surgiu no Rio de Janeiro no século XIX. Inicialmente, o termo referia-se a festas que aconteciam nas senzalas, posteriormente, a qualquer festa onde houvesse alegria, cantoria e bebida. Consolidou-se no século XX e no final dos anos 70 passou a ser associado às festas do suburbio/ centro e calçadões cariocas e passou a ser ligado ao ritmo em festas nas favelas e fundos de quintais, em músicas que falavam de alegrias, tristezas e romantismo.
Em 1986 Zeca Pagodinho lançou seu primeiro album e em 1992 surgiu uma das bandas paulistas de pagode mais conhecidas atualmente, Exaltasamba, liderada por Péricles e Chrigor. Nos anos 90 também surgiram Dudu Nobre, Pixote, Harmonia do Samba, Juventude S/A, Molejo, Os Travessos, Só no sapatinho, Só pra contrariar, entre outros.
A partir de 2000, destacam-se Adryana e a Rapaziada, Alexandre Pires, Belo, Jeito Moleque e, na minha opinião, um dos melhores, Sorriso Maroto.

Espero que tenham gostado... Um grande abraço!

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Sonhos

Me imagino daqui a 10 anos, (com exatamente 25 anos) cursando, ou já formada vai saber, a faculdade de medicina em alguma capital, morando em um apartamento com alguma amiga ou sozinha mesmo, e trabalhando com algum "bico" como dizem por aí. Eu não me imagino, eu sonho com isso. Uma vida perfeita, um futuro brilhante, um emprego gratificante, sabe.. Ser feliz acima de tudo. Mas tudo isso começou assim..
"Estava brincando ao jardim, algo normal de criança, pulando e correndo sem parar por nada. Ao menos que uma pedra entre no seu caminho. Cai. Chorando minha mãe veio correndo, o machucado era um pouco sério, fomos ao médico. Encantada. Era como ficara após a consulta. Pensei: quero ser como ela, ajudar quem machuca, curar." E cá estou eu, sonhando em ser esse ser maravilhoso que é um médico, ou qualquer profissão onde se salva vidas. Terá algo mais gratificante que conseguir salvar uma pessoa da morte? Penso eu que não. Mas sei, seus sonhos e os meus sonhos são completamente diferentes, claro somos pessoas diferentes. Porém espero que tenhamos uma única coisa em comum: a perseverança acima de tudo. Lutaremos até o fim para que tudo dê certo conforme está montado em nossa mente.
O que está em meu alcance por enquanto estou fazendo, estudando. E você, o que pode fazer para que seus sonhos se tornem mais próximos a realidade? Vá, pois o tempo voa.
Ah, antes me diga: 

Qual é seu sonho?

Beijos, Lara Oliveira.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

De frente com Gabi

Inteligente, diferente, variado. Assim é o programa que dura aproximadamente uma hora e que consegue prender a atenção com assuntos que atendem aos mais variados gostos. Marília Gabriela, a Gabi, já entrevistou políticos, como Fernando Henrique Cardoso, esportistas, como Ronaldo, cantores, como Xitãozinho e Xororó, etc...
Com um cenário simples e moderno, o que fica em evidencia é apenas o entrevistado e a entrevistadora.
Gabi já trabalhou na TV Globo, TV Mulher, TV Bandeirantes, GNT e Rede TV, além é claro, do SBT, onde já apresentou o SBT Repórter. Também atuou em novelas e minisséries, gravou três CD's e publicou três livros.
No programa "De frente com Gabi" consegue extrair o melhor de cada entrevistado, mostrando aos telespectadores um pouco da vida, história e idéias da pessoa.
Interessante, e com diversos assuntos, mostra outros pontos de vista, e consegue se fazer entender até por quem não acompanha o assunto, por exemplo, política.
O De frente com Gabi, é basicamente um programa de entrevista, mas vai além disso. Com perguntas inteligentes, Marília Gabriela consegue aquilo que talvez outro entrevistador não consiga: Tornar a "conversa" interessante mesmo para quem não gosta do assunto tratado.
Simples e direto. Divertido sem perder a seriedade. Atrativo mesmo sem entrevistar pessoas envolvidas em polemicas atuais, o programa não tem como objetivo falar, esclarecer ou aumentar certos "escandalos" atuais, tendo como foco principal a pessoa, como no caso do entrevistado de ontem, Luiz Felipe Scolari , ou apenas um determinado assunto, como sexo, com a sexóloga Carmita Abdo.
Posso eu, definir o programa como o que faltava na televisão brasileira. Algo que acrescenta, que atrai sem a mesmice dos programas sensacionalistas atuais, inteligente e "auto-sustentável".

O programa é exibido no SBT aos domingos, à 00:00.

Um abraço à todos!

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Cinco personagens do YouTube!

Não é de hoje que o YouTube transforma pessoas comuns, anônimas em webcelebridades. Vou listar os cinco personagens brasileiros mais assistidos, e engraçados!

Boas risadas!

Mike de Mosqueiro!

Laila Dominique!

Liciane Pescotapa!

Andressa cara de cotoca!

Lidio!


Até a próxima!


Marcelo Soares!

Contos de Morte Morrida

O titulo desta postagem lhe chamou a atenção? Pois é, foi o mesmo que aconteceu comigo outro dia na biblioteca da minha faculdade. A intenção inicial era a pesquisa de um trabalho que tinha que fazer, mas como os livros que procurava para esclarecer dúvidas estavam cada vez mais me confundindo (coisa que acontece com a maioria dos livros da chamada "linguagem acadêmica"), passando por uma das prateleiras esse titulo também me chamou a atenção. Peguei o livro e comecei a ler, e não me arrependi. É um ótimo livro. Apesar de ser classificado como infantil, a leitura do livro por adultos não causa nenhum dano, pois já testei. Aliás só faz bem, além de rir você conhece um pouco mais sobre essa senhora tão misteriosa, a Morte.

O livro é do autor Ernani Ssó e conta nove histórias do folclore cheias de humor e movimento e em mais uma, nova, na qual o autor conta como combinou com a Morte o prazo para escrever o livro. Vou apresentar aqui no blog algumas das histórias. Eis aí a primeira


A Morte e o Ferreiro

Há muito tempo, quando os bichos falavam e o sol tinha fases como a Lua, dois reinos vizinhos entraram em guerra. Foram tantas as batalhas que a Morte quase se cansou de trabalhar. Levava gente da manhã à noite, mesmo aos domingos. Quando tudo terminou, sete anos depois, a gadanha dela tinha perdido o fio e quebrado a ponta.
Então a Morte procurou um ferreiro, numa pequena aldeia, perto do último campo de batalha. Ele era um homem valente, não se assustou ao ver a Morte parada na porta.
-Já chegou a minha hora?
-Não. Preciso dos seus serviços.
A Morte mostrou a gadanha.
-Precisa de uma lâmina nova-o ferreiro disse. -Vai demorar um pouco. Melhor a senhora se sentar.
-Eu nunca sento - a Morte respondeu.
Entregou a gadanha e ficou num canto, confundida com as sombras.
O ferreiro segurou a gadanha, sentiu o peso dela e disse:
-Parece uma gadanha comum.
-É uma gadanha comum, na mão dos outros - a Morte disse.
O ferreiro trabalhou a noite toda. Pela madrugada, a gadanha tinha uma lâmina nova. Chegava a brilhar de tão afiada e pontuda.
A Morte saiu das sombras, pegou a gadanha, examinou-a.
-Ficou muito boa, ferreiro. Quanto lhe devo?
-Nada
-Então, obrigada. Até outro dia.
-Espere aí. Quero um favor em troca.
A Morte esperou.
-Quero que a senhora me avise com antecedência. Para eu me preparar pra minha hora.
-Avisarei - ela disse sem nem virar, e sumiu na rua.
Anos e anos se passaram. O ferreiro nunca mais teve notícia da Morte.
Na verdade até esqueceu dela.
Uma noite, voltando pra casa, viu um brilho branco nas sombras. Eram os dentes da Morte sob o capuz preto. O ferreiro disse:
-Tudo bem? Veio me avisar?
-Não. Vim buscá-lo.
-Mas como?! A senhora prometeu que ia me avisar com antecedência.
-Eu avisei.
-Não recebi aviso nenhum.
-Seus cabelos ficaram brancos?
-Ficaram.
-Seu rosto se encheu de rugas?
-Sim.
-Suas pernas ficaram fracas?
-Ficaram. Estou até usando bengala.
-Suas costas encurvaram?
-Encurvaram.
-Então, ferreiro? Quantos avisos mais você queria?
-Mas velho assim eu posso morrer com oitenta anos, com cem ou cento e vinte. Um aviso desses não me serve.
Quero hora com lugar certos.
-Está bem. Dentro de sete dias, aqui no jardim - a Morte disse e sumiu.
O ferreiro ficou quieto, pensando. Sete dias não era muito. Precisava se apressar.
Mas o ferreiro não se apressou. Nesses sete dias, fez o que sempre fazia, do jeito que sempre fazia. Apenas passou mais tempo com os netos, contando histórias.
Quando o prazo se encerrou, ele estava no jardim, à espera da Morte.
Ele não disse nada. Ela também não disse nada.
Foram andando juntos como velhos amigos.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

De olho nas eleições...

Oii pessoas!
Não gosto de política, mas esse ano tem eleição, e tem que ficar atento no que está acontecendo... Recebo muitos e-mails de assuntos variados (se alguém quiser, mel.blog53@yahoo.com), e achei que esse valia a pena postar aqui...

"Queremos que Bonner e Fátima façam as perguntas a Lula sugeridas por Reinaldo Azevedo para a entrevista do Jornal Nacional:

1) O senhor prometeu criar 10 milhões de empregos e chegará ao fim do mandato criando quatro milhões. Neste tempo, a renda da classe média caiu, e os empregos gerados se concentram na faixa de até 2 salários mínimos. A chamada distribuição de renda do seu governo não se faz à custa do empobrecimento dos menos pobres?
2) O Senhor disse que banqueiro lucra no seu governo e, por isso, não precisa de Proer. O Senhor sabe quantos Proers o Brasil paga por ano para sustentar os juros reais mais altos do mundo?
3) O seu filho, até bem pouco tempo antes do Senhor assumir a Presidência, era monitor de Jardim Zoológico e, hoje, já é um empresário que a gente poderia classificar de milionário. O Senhor não acha uma ascensão muito rápida?
4) Genoino sabia do mensalão. Silvio Pereira sabia do mensalão.Dirceu sabia do mensalão. Ministros foram avisados do mensalão. Só o senhor, da cúpula, não saberia. O senhor não acha que, nesse caso, não saber é tão grave quanto saber? E se houver mais irregularidades feitas por amigos seus que o senhor ignore?
5) Presidente, na sua gestão, as invasões de terra triplicaram, caiu o número de assentamentos e mais do que dobrou o número de mortos no campo. Como o senhor defende a sua política de reforma agrária?
6) O senhor não tem vergonha de subir em palanque onde estão mensaleiros e sanguessugas?
7) Presidente, em 2002, o Brasil exportava a metade do que exporta hoje, e o risco país era sete ou oito vezes maior. O país pagava 11% de juros reais. Hoje, continuamos a pagar mais de 10%. Como o senhor explica isso?
8) Em 2002, o governo FHC que o Senhor tanto critica repassou para São Paulo, na área de segurança, R$ 223,2 milhões. Em 2005, o seu governo repassou apenas R$ 29,6 milhões. Só o seu avião custou R$ 125 milhões. Não é muito pouco o que foi dado ao Estado que tem 40% da população carcerária do país?
9) Quando o Senhor assumiu, o agro negócio respondia por mais de 60% do superávit comercial. Quase quatro anos depois, o setor está quebrado, devendo R$ 50 bilhões. O Senhor não acha que o seu governo foi um desastre na área?

Vamos relembrar as "qualidades" do nosso Presidente :
-ele não estudou;
-ele NUNCA trabalhou, apesar de ser "Líder" dos trabalhadores;
-ele tem um belo salário como Presidente;
-ele tem um belo salário do Partido, sem trabalhar;
-ele também recebe pensão como ANISTIADO (????)
-ele tem aposentadoria;
-ele tem filhos estudando no exterior;
-ele não paga aluguel da mansão onde mora;
-ele desconhece os preços de supermercado, padaria, farmácia, açougue, etc;
-ele viaja ( e muito ) de avião luxuoso comprado com nosso dinheiro só para ele;
-ele tem carros;
-ele não fala inglês, espanhol ou outra língua, nem o português;
-ele tem ternos italianos;
-ele tem fazendas;
-ele não tem experiência administrativa ;
-ele não tem humildade;
-ele traiu todos seus compromissos de campanha;
-ele defende, hoje, tudo quanto atacava e era contra na política do Presidente anterior;
-ele não tem vergonha em dizer que "é do povo", mesmo vivendo como um rei.

Detalhe: "O NOSSO PRESIDENTE", se quisesse, não poderia ser um GARI DE RUA. O concurso de GARI exige ensino fundamental.

Não deixe de repassar esta mensagem.

Eu sei que o post já está bem longo, mas vale a pena por mais isso:


"Mais um artigo do Joelmir Betting, também de muita coragem e de grande informação!
Já, já, vai ser retirado de cena...

O VIAJANTE,
Se beber não dirija. Nem governe.
Até aqui, em 40 meses de governo, o presidente Lula já cometeu 102 viagens ao mundo. Ou mais de duas por mês, tal como semana sim, semana não. Sem contar, ora pois, as até aqui, 283 viagens pelo Brasil...
Hoje, dia 15, ele completa 382 dias fora do país desde a posse. E pelo Brasil, no mesmo período, 602 dias fora de Brasília.
Total da itinerância presidencial, caso único no mundo e na História: Exatos 984 dias fora do Palácio, em exatos 1.201 dias de presidência.
Equivale a 81,9% do seu mandato fora do seu gabinete. Esta é a defesa da tese de que ele não sabia e nem sabe de nada do que acontece no Palácio do Planalto.
Governar ou despachar, nem pensar.
A ordem é circular. A qualquer pretexto.
E sendo aqui deselegante, digo que o presidente não é (nem nunca foi) chegado ao batente, ao despacho, ao expediente.
Jamais poderá mourejar no gabinete, dez horas por dia, um simpático mandatário que tem na biografia o nunca ter se sentado à mesa nem para estudar, que dirá para trabalhar.'
SEM CONTAR AS DESPESAS:
FHC, EM 8 ANOS DE GOVERNO, GASTOU R$ 58 MILHÕES, CRITICADOS PELO PT.
LULA ATÉ AGORA, EM MENOS DE 7 ANOS, GASTOU R$ 584 MILHÕES! E SÓ AS IDENTIFICADAS PELA IMPRENSA
E o povão ainda aplaude e vota!"

É isso aí pessoal, olho nesses caras! Um graaaaande abraço!

quinta-feira, 22 de julho de 2010

O que você faz da sua vida?

Ha dias atrás encontrei esse vídeo, adorei a mensagem que ele passa! Achei criativo e diferente.

Assistam e meditem na mensagem!


O que você faz da sua vida?


Foi um post super rápido, mas, o que vale é a mensagem do video!

Até a próxima!

Marcelo Soares!

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Ritmos que embalam: ROCK

No último dia 13, o mundo comemorou o dia do rock. Isso me inspirou a escrever um pouco sobre este ritmo tão popular internacionalmente. Pretendo também, nos próximos posts, falar sobre outros ritmos.

Rock é um termo abrangente que define o gênero musical popular que se desenvolveu durante e após a década de 1950. Suas raízes se encontram no rock and roll e no rockabilly que emergiu e se definiu nos Estados Unidos da América no final dos anos quarenta e início dos cinqüenta, que evoluiu do blues, da música country e do rhythm and blues.
O som do rock muitas vezes gira em torno da guitarra elétrica ou do violão e utiliza um forte backbeat (contratempo) estabelecido pelo ritmo do baixo elétrico, da bateria, do teclado, e outros instrumentos como órgão, piano, ou, desde a década de 1970, sintetizadores digitais.

Rock and roll
surgiu nos subúrbios dos Estados Unidos no final da anos 1940 e início da década de 1950. Suas origens imediatas remontam a uma mistura entre vários gêneros musicais populares da cultura negra naquele momento, incluindo o rhythm and blues, a gospel music, o country e o western.
em 1955, "Rock Around the Clock" de Bill Haley se tornou a primeira canção de rock and roll a chegar ao topo da parada de vendas e execuções da revista Billboard e abriu caminho mundialmente para esta nova onda da cultura popular.
A década de 1950 assistiu ao crescimento da popularidade da guitarra elétrica e viu grandes avanços na tecnologia de gravação, como a gravação multi-faixas desenvolvida por Les Paul e o tratamento eletrônico de sons por produtores musicais inovadores como Joe Meek. Todos estes avanços foram fundamentais para a influência do rock posteriormente.
Os efeitos sociais do rock and roll foram massivos e mundiais. Muito além de um simples estilo musical, o rock and roll influenciou estilos de vida, moda, atitudes e linguagem.

Era de Ouro (1963-1974)
Foi em solo britânico que se desenvolveu uma grande cena rock and roll, sem as barreiras raciais que mantiveram a "gravações de raça" ou rhythm and blues separados nos Estados Unidos.
Cliff Richard emplacou o primeiro sucesso britânico de rock 'n' roll com "Move It", que efetivamente inaugurou o rock britânico.
Enquanto o rock 'n' roll caminhava em direção a um pop leve e a baladas fora de moda, grupos de rock britânicos, fortemente influenciados por pioneiros do blues-rock como Alexis Körner, tocavam cada vez mais em clubes e bailes locais e se distanciavam do rock and roll dos brancos norte-americanos.
Até o final de 1962, a cena do rock britânico tinha ganhado grupos como Beatles - formada em Liverpool, o grupo era formado por John Lennon (guitarra rítmica e vocal), Paul McCartney (baixo e vocal), George Harrison (guitarra solo e vocal) e Ringo Starr (bateria e vocal) - debruçados sobre um vasto leque de influências que incluíam a soul music, o rhythm and blues e a surf music. Inicialmente, eles reinterpretaram sucessos-padrão norte-americanos, tocados para dançarinos de twist, por exemplo. Esses grupos acabaram introduzindo em suas composições originalidade, som distinto e conceitos musicais cada vez mais complexos.
Em meados de 1962, os Rolling Stones foram um dos numerosos grupos surgidos e que mostravam uma influência blues cada vez maior, juntamente com os Animals e os Yardbirds. No fim de 1964, as bandas The Kinks, The Who, The Doors e The Pretty Things representavam o novo estilo Mod. Perto do final da década, grupos de rock britânico começaram a explorar estilos musicais psicodélicos que faziam referência a subcultura das drogas e experiências alucinógenas.

Heavy metal e hard rock
Sub-gênero que pereceu em direção a imitação caricatural no final daquela década. Muitos de seus adeptos lançaram álbuns mais próximos do rock progressivo ou até da disco music. Poucas bandas - entre elas, Kiss, Black Sabbath, Queen, AC/DC, Led Zeppelin, Aerosmith,Rush e Scorpions - mantiveram um número significativo de fãs e ocasionalmente empalcaram sucessos comerciais. Apesar da esmagadora maioria da crítica musical ter aversão ao hard rock, este estilo musical ganhou uma sobrevida, com lançamentos como o álbum de estréia da banda Van Halen em 1978 e o Tokio Tapes do Scorpions . Os discos ajudaram a prenunciar uma era de maior comercialização do rock, estabelecida fora de Los Angeles. Depois que este "lado glam" do metal entrou em ascensão, bandas como Iron Maiden, Metallica, Slayer, Megadeth e Anthrax, conduziram o metal a sua cena original, que passou a ser chamado de heavy metal mas analizando a musicalidade de bandas anteriores à New Wave, viu-se que o heavy metal já existia, visto que várias bandas faziam músicas mais pesadas que o hard rock como o Black Sabbath (tido como criador do rock pesado), o Kiss, o Judas Priest, o AC/DC e outras bandas que conseguiam compor músicas dos dois estilos, então hoje se diz que na verdade o heavy metal surgiu no começo dos anos 1970 com o Black Sabbath, que também compunha muitas músicas no estilo hard rock.

O ROCK NO BRASIL
Numa época em que a bossa nova predominava, o rock desembarcou no Brasil no início da decada de 60. Os primeiros sucessos de rock genuinamente brasileiros foram “Banho de lua” e “Estúpido cupido”, da cantora Celly Campelo, no começo daquela década. Ainda nos anos sessenta, surgiu a jovem guarda, primeiro movimento do rock no pais e de sucesso entre boa parte da juventude brasileira. Inspirado nas letras romanticas e no ritmo acelerado padrao nos EUA, o gênero se popularizou em terras brasileiras através de cantores como Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa.
No final da década, o grupo Mutantes misturou o rock à diversidade da música brasileira. Foram também os primeiros a serem conhecidos no exterior. Décadas mais tarde, seriam redescobertos e mais cultuados internacionalmente. Na virada para a década de 1970, surge no cenário rock brasileiro nomes como Raul Seixas e o grupo Secos e Molhados.
Na década seguinte, o rock brasileiro seguiu um caminho com uma temática mais urbana e cotidiana. Entre os principais destaques comerciais, estavam bandas como Legião Urbana que foi um das maiores bandas de rock dos anos 80 e 90 no Brasil, RPM, Ultraje a Rigor, Ira!, Titãs, Barão Vermelho, Kid Abelha, Engenheiros do Hawaii, Blitz e Os Paralamas do Sucesso. Das entranhas da banda brasiliense Legião Urbana, veio a banda Capital Inicial. Na virada daquela década, a banda brasileira Sepultura - apesar de não estar ligada ao cenário rock do país - se torna um dos principais nomes do heavy metal no Brasil e de destaque no mundo.
Atualmente, as bandas de rock brasileira mais apontadas no mainstream são Pitty, Charlie Brown Jr e Capital Inicial. Muitos não consideram, entretanto, essas bandas como rock. Outros já dizem que quem não merece o título de rock, na verdade, são bandas comercialmente promissoras, mas com qualidade musical nula, como NxZero e Fresno. O rock também pode ser representado na sua essencia pela Cachorro Grande, banda gaúcha que possui no estilo musical e visual elementos do rock setentista. É impossível ignorar as misturas que o rock brasileiro traz. Uma banda que possui uma densidade e atitude do rock, mas é considerada oriunda do movimento cultural, musical e regionalista Mangue Beat é a Nação Zumbi. Devagar e sempre, o rock continua a desenvolver-se por aqui, chegando até mesmo a ter representantes do black e death metal brasileiro, que já são conhecidos no mundo todo.

O Rei do Rock:
Elvis Aaron Presley, nascido nos Estados Unidos da América, sendo mundialmente denominado O Rei do Rock. Uma de suas maiores virtudes era a sua voz, devido ao seu alcance vocal, que atingia, segundo especialistas, notas musicais de difícil alcance para um cantor popular. A crítica especializada reconhece seu expressivo ganho, em extensão, com a maturidade; além de virtuoso senso rítmico, força interpretativa e um timbre de voz que o destacava entre os cantores populares, sendo avaliado como um dos maiores e por outros como o melhor cantor popular do século 20.
                                                                                                                 fonte de pesquisa: wikpedia.com

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Origem de algumas Expressões Populares

É engraçado como tudo tem uma história... até mesmo as coisas que falamos. Vou postar algumas Expressões Populares e suas respectivas origens, e para descontrair algumas imagens relacionadas, já que uma imagem vale mais que mil palavras (vc vai ver que nem sempre, rs)

Acho que pelo menos uma dessas expressões ou vocês já usaram ou então ja ouviram falar(nem que seja avós, bisavós...ah, em qualquer filme de época).

Calcanhar de Aquiles
De acordo com a mitologia grega, Tétis, mãe de Aquiles, a fim de tornar seu filho indestrutível, mergulhou-o num grande lago mágico, segurando-o pelo calcanhar. Na Guerra de Tróia, Aquiles foi atingido na única parte de seu corpo que não tinha proteção: o calcanhar. Portanto, o ponto fraco de uma pessoa é conhecido como calcanhar de Aquiles.


Voto de Minerva
Orestes, filho de Clitemnestra, foi acusado pelo assassinato da mãe. No julgamento, houve empate entre os acusados. Coube à deusa Minerva o voto decisivo, que foi em favor do réu. Voto de Minerva é, portanto, o voto de desempate ou o voto decisivo.

Casa da Mãe Joana
Na época do Brasil Império, mais especificamente durante a minoridade do Dom Pedro II, os homens que realmente mandavam no país costumavam se encontrar num prostíbulo do Rio de Janeiro, cuja proprietária se chamava Joana. Como esses homens mandavam e desmandavam no país, a frase casa da mãe Joana ficou conhecida como sinônimo de lugar em que ninguém manda.


Vá se queixar ao Bispo
Durante o Brasil Colônia, a fertilidade de uma mulher era atributo fundamental para o casamento, afinal, a ordem era povoar as novas terras conquistadas. A Igreja permitia que, antes do casamento, os noivos mantivessem relações sexuais, única maneira de o rapaz descobrir se a moça era fértil. E adivinha o que acontecia na maioria das vezes? O noivo fugia depois da relação para não ter que se casar. A mocinha, desolada, ia se queixar ao bispo, que mandava homens para capturar o tal espertinho.

Conto do Vigário
Duas igrejas de Ouro Preto receberam uma imagem de santa como presente. Para decidir qual das duas ficaria com a escultura, os vigários contariam com a ajuda de Deus, ou melhor, de um burro. O negócio era o seguinte: colocaram o burro entre as duas paróquias e o animalzinho teria que caminhar até uma delas. A escolhida pelo quadrúpede ficaria com a santa. E foi isso que aconteceu, só que, mais tarde, descobriram que um dos vigários havia treinado o burro. Desse modo, conto do vigário passou a ser sinônimo de falcatrua e malandragem.

Ficar a ver navios
Dom Sebastião, rei de Portugal, havia morrido na batalha de Alcácer-Quibir, mas seu corpo nunca foi encontrado. Por esse motivo, o povo português se recusava a acreditar na morte do monarca. Era comum as pessoas visitarem o Alto de Santa Catarina, em Lisboa, para esperar pelo rei. Como ele não voltou, o povo ficava a ver navios.

Não entendo Patavinas
Os portugueses encontravam uma enorme dificuldade de entender o que falavam os frades italianos patavinos, originários de Pádua, ou Padova. Assim, não entender patavina significa não entender nada.

Dourar a Pílula
Antigamente as farmácias embrulhavam as pílulas em papel dourado, para melhorar os aspecto do remedinho amargo. A expressão dourar a pílula, significa melhorar a aparência de algo.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Tentar, de alguma forma, esconder a inveja de alguém com criticas é fácil, qualquer um consegue e pode, eu já fiz isso, cínico daquele que disser nunca ter feito, ok, se for para usar do cinismo eu também nunca o fiz, usemos então a palavra ‘falso’.
Talvez expor-se e criticar seja o pior erro que pode-se cometer, um dia a verdade chega, e com meras palavras o ser critico, e diga-se de passagem ‘’formador de opinião’’ e ‘’causador de modas’’ deixa-se desmascarar por apenas uma frase, pode ser ela de efeito ou uma simples oração composta com duas ou três palavras.
Ater-me em criticar uma coisa, vasculhar tudo a respeito e achar defeitos é extremamente fácil, até uma criança que esta no inicio de sua vida virtual a faz, colocar isso pra fora é simples, colocar pra fora o que pensa é necessário, afinal cada um possui um jeito de ser, uma maneira de pensar oriundos das experiências vividas até então, fazer propositalmente só pra ganhar fama, seja de ‘’o senhor opinião’’ ou ‘’do senhor moda’’, é baixo! 
Talvez para bons entendedores meias palavras bastam! Sintam-se bons entendedores!

Até a Próxima!

Marcelo Soares

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Brazuca

Diante dos acontecimentos dessa sexta feira dia 2 de julho de 2010, resolvi postar aqui uma música do genial Gabriel Pensador.

Brazuca



Futebol? futebol não se aprende na escola
No país do futebol o sol nasce para todos mas só brilha para poucos e brilhou pela janela do barraco da favela onde morava esse garoto chamado brazuca
Que não tinha nem comida na panela mas fazia embaixada na canela e deixava a galera maluca
Era novo e já diziam que era o novo pelé
Que fazia o que queria com uma bola no pé
Que cobrava falta bem melhor que o zico e o maradona e que driblava bem melhor que o mané, pois é
E o brazuca cresceu, despertando o interesse em empresários e a inveja nos otários
Inclusive em seu irmão que tem um poster do romário no armário
Mas joga bola mal pra caralho
O nome dele é zé batalha
E desde pequeno ele trabalha pra ganhar uma migalha que alimenta sua mãe e o seu irmão mais novo
Nenhum dos dois estudou porque não existe educação pro povo no país do futebol
Futebol não se aprende na escola
É por isso que brazuca é bom de bola

Brazuca é bom de bola
Brazuca deita e rola
Zé batalha só trabalha
Zé batalha só se esfola
Brazuca é bom de bola
Brazuca deita e rola
Zé batalha só trabalha
Zé batalha só se esfola
Chega de levar porrada
A canela tá inchada e o juiz não vê
Chega dessa marmelada
A camisa tá suada de tanto correr
Chega de bola quadrada
Essa regra tá errada, vâmo refazer
Chega de levar porrada
A galera tá cansada de perder

No país do futebol quase tudo vai mal
Mas brazuca é bom de bola, já virou profissional
Campeão estadual, campeão brasileiro
Foi jogar na seleção, conheceu o mundo inteiro
E o mundo inteiro conheceu brazuca com a dez
Comandando na meiúca como quem joga sinuca com os pés
Com calma, com classe, sem errar um passe
O que fez com que seu passe também se valorizasse
E hoje ele é o craque mais bem pago da europa
Capitão da seleção, tá lá na copa
Enquanto o seu irmão, zé batalha, e todo o seu povão, a gentalhada favela de onde veio, só trabalha
Suando a camisa, jogado pra escanteio
Tentando construir uma jogada mais bonita do que a grama que carrega na marmita
Contundido de tanto apanhar
Confundido com bandido
Impedido
Pode parar!!
Sem reclamar pra não levar cartão vermelho
Zé batalha sob a mira da metralha de joelhos
Tentando se explicar com um revólver na nuca:
Eu sou trabalhador, sou irmão do brazuca!
Ele reza, prende a respiração
E lá na copa, pênalti a favor da seleção
Bola no lugar, brazuca vai bater
Dedo no gatilho, zé batalha vai morrer
Juiz apitou... tudo como tinha que ser:
Tá lá mais um gol e o brasil é campeão
Tá lá mais um corpo estendido no chão

Refrão

O país ficou feliz depois daquele gol
Todo mundo satisfeito, todo mundo se abraçou
Muita gente até chorou com a comemoração
Orgulho de viver nesse país campeão
E na favela, no dia seguinte, ninguém trabalha
É o dia de enterrar o que sobrou do zé batalha
Mas não tem ninguém pra carregar o corpo
Nem pra fazer uma oração pelo morto
Tá todo mundo com a bandeira na mão esperando a seleção no aeroporto
É campeão da hipocrisia, da violência, da humilhação
É campeão da ignorância, do desespero, desnutrição
É campeão da covardia e da miséria, corrupção
É campeão do abandono, da fome e da prostituição

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Signos.

Você sabia que signos são doze sinais no céu. Cada um deles fornece um conceito para sua vida prática e para sua psique, representados pelos planetas.

Qual signo você é?


Aquário
Pessoa amada, otimista, amigável, leal e honesta.
Não muito emotiva e pode ser um pouco rebelde, teimosa, mas bastante original.Pessoa atraente e tem personalidade excêntrica.




Câncer
Pessoa tímida, emocional, amorosa,gentil, inventiva e cautelosa. Grande necessidade de ser amada pelos outros, guarda rancores e pode tornar-se mal-humorada.




Capricórnio  

Pessoa paciente, agressiva, sábia, prática, rígida, ambiciosa e muito inteligente.Pode ser um pouco tímida e reservada. Muitas vezes agem sem pensar e são pouco amigáveis. Obtém tudo que querem.



                                  

Escorpião
Pessoa enérgica, inteligente, ciumenta, possessiva, trabalhadora. Guarda rancor com facilidade. É atraente, determinada e romântica. Algumas vezes egocêntrica.



Gêmeos
Pessoa inteligente, engenhosa, gosta de falar, enérgica, argumentativa e franca. Sujeito a mudanças, pode parecer superficial ou incoerente.




Leão
Pessoa organizada, limitada, amável, sensível e criativa. Gosta de mandar nos outros e assumir tudo. É social e gosta de sair, muito atraente.





Libra
Pessoa harmonizadora, agradável a todos, indecisa, criativa, enérgica e social. Odeia ficar sozinha, gosta de flertar, muito amorosa e generosa. Tem grande atração própria.





Peixes
Pessoa sonhadora, tem bom coração e é muito otimista, criativa, imaginativa, sensível e reservada. Não gosta de detalhes e é muito desinteressada.




Sagitário
Pessoa otimista, impaciente, muitas vezes hipócrita e antipática. Não gosta de regras e responsabilidades. É orgulhosa e não gosta de ser contrariada. Tem muitos amigos e gosta de sair.





Touro
Pessoa resistente, agressiva, trabalhadora, forte e orgulhosa. Expressam-se emocionalmente. Não procura atalhos, são pacientes e seguras. São conselheiras e tem muitos amigos.





Virgem
Pessoa perfeccionista, conservadora, inteligente, ansiosa e trabalhadora. Tímida e muitas vezes pessimista, difícil de agradar, prática e muito exigente.




Áries
Pessoa aventureira, espontânea e confiante. Extremamente impaciente e as vezes egoísta. Ama desafios, é corajosa e afirmativa, tende a ser física ou atlética.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Destino



Você tem um objetivo, um caminho certo a trilhar. Um destino. É, você tem sim, todos temos. Basta entender, compartilhar de todas as pistas que a vida lhe dá e juntá-las para que o quebra-cabeça seja formado. 
Como muitos, você não é o único a não saber o que fazer, e quem seguir. A dúvida é algo mais comum do que se imagina na vida, é quase como um alicerce, um companheiro eterno. Nunca teremos a certeza convicta de algo sem algumas provas. Ela estará presente em todos os momentos, dos mais felizes aos mais difícies. Eu sei, o receio de escolher a opção errada. O receio de escolher o caminho errado e acabar se arrependendo no final. Isso nunca se vai, e ele está tomando conta de você a todo momento, eu sei. Acalme-se, o caminho pode não ser o errado no final, você pode e deve mudá-lo se não está de acordo. Só depende de você. 
Por mais que seja uma simples garota aos seus poucos anos de vida, tenho a certeza convicta de um único fato, quem luta consegue. Por isso eu digo, não desista. Por mais difícil e inacansável seu sonho possa parecer, por mais complicado o caminho pareça, lute. Dessa chuva que agora cai não cairá dinheiro ou muito menos o que precisa, apenas água. Portanto, ficar aí sentado nessa poltrona velha esperando que tudo venha ao seu alcance de nada adiantará. Levanta-se. Corra. Se mexa. O mundo não espera por você. 
Vamos viver, afinal, a vida não é lá tão longa quanto se parece. 
E saiba, a única pessoa que pode trilhar seu caminho, é você. Não dependa de ninguém, tente, caso falhe, te apresento uma palavra: "recomeçar". 

Beijos, Lara Oliveira 

segunda-feira, 28 de junho de 2010

CALA BOCA GALVÃO!

A "campanha" "#CalaBocaGalvao" virou sucesso mundial no Twitter, mas também despertou algumas "dúvidas"... Talvez já tenham lido esse e-mail, eu recebi na terça, mas só hoje abri, mas resolvi postar aqui do mesmo jeito...

“Cala Boca Galvão” ganha o mundo através do Twitter e transforma o locutor da Globo em chacota internacional: uma ave em extinção

“CALA BOCA GALVÃO” está sendo a expressão mais comentanda no mundo do Twitter durante o início da Copa. Desde ontem (10), com o início da Copa do Mundo na África do Sul, a expressão que ridiculariza o locutor Galvão Bueno da Rede Globo permanece no topo mundial dos assuntos mais comentados no Twitter, causando um grande constrangimento a Globo e principalmente ao Galvão Bueno.
Inicialmente, os usuários do twitter em outros países pensaram que o “CALA BOCA GALVÃO” tratava-se de uma campanha no Brasil pedindo proteção a uma ave em extinção. Um usuário do twitter nos Estados Unidos postou: “Galvão é uma ave muito rara no Brasil. CALA BOCA significa SAVE, os brasileiros estão muito tristes porque muitas GALVAOS morrem todos os dias”. E ainda: “CALA BOCA GALVAO, o mundo não pode viver sem esse pássaro!”. Outros perguntaram se era uma campanha da ONG ambiental Greenpeace: “Cala Boca Galvão é um novo projeto do Greenpeace?”
Porém, quando os internautas de outros países descobriram que não se tratava de uma campanha ambiental dos brasileiros pedindo a proteção do “Cala Boca Galvão”, começaram a publicar no twitter: “CALA BOCA GALVAO não é uma ave rara no Brasil. Isso significa "Cala a boca Galvão" um locutor esportivo odiado por pessoas aqui em baixo”. Vejam que para se referir ao Brasil alguns gringos utilizaram a expressão “pessoas aqui em baixo”.
Não deixando barato, alguns brasileiros começaram a escrever: “Mano, esses gringos são mt buuuurros. Não sabem de porra nenhuma e ficam falando que CALA BOCA GALVAO é uma campanha”. Outros postaram: “CALA BOCA GALVAO vai entrar pro Guiness Book como a maior piada interna de um país inteiro. E o mundo inteiro caindo!” E por fim, alguns internautas disseram: “O dia em que o Brasil sacaneou o mundo”.
O fato é que a piada ganhou o mundo da internet, e o Galvão Bueno e a Globo estão sendo ridicularizados pela web, justamente no dia em que o Portal G1 da “Grobo” lançou sua versão em inglês.
Outro exemplo de chacota dos internautas com Galvão e a Globo vem de um internauta brasileiro que comentou: “CALA BOCA GALVAO é um novo projeto do Greenpeace para reduzir a poluição sonora”.
No entanto, um dos twitteiros teve razão em escrever “Cala Boca Galvão”, após a “inteligente” frase do locutor global Galvão Bueno: "1ª pérola do Galvão no jogo: "Hoje é o dia + importante na história da África" Avisem pra ele sobre o Apartheid! CALA BOCA GALVÃO.”
Por fim, no seu Twitter oficial, Galvão Bueno se fez de indiferente a chacota internacional a partir do Brasil, apenas disse que se chegasse a 1 milhão de seguidores ele se calaria, e escreveu uma “romântica” frase: “Amo todos vocês”.

CALA BOCA GALVÃO!

Faixa "Cala boca Galvão!" é retirada com menos de dois minutos de jogo


Exibida com destaque logo que a bola começou a rolar para a estreia brasileira na Copa do Mundo, contra a Coreia do Norte, em Johannesburgo, uma faixa com a frase "Cala a boca, Galvão!" foi recolhida rapidamente nas arquibancadas do estádio Ellis Park, nesta terça-feira.
O adereço estava colocado exatamente no centro do campo, pouco acima das placas de publicidade, e endossava campanha iniciada no Twitter, desde a última sexta.
Bastou começar o jogo inaugural do Mundial na África do Sul, entre a equipe da casa e o México, que os temas ligados ao torneio já estavam entre os dez mais comentados no famoso microblog. E o assunto que liderava o ranking era justamente "Cala boca Galvão", referindo-se ao locutor esportivo da "Rede Globo".
Enquanto os internautas brasileiros na rede zombavam com recados como "a maior mobilização brasileira depois das Diretas Já", alguns estrangeiros não entendiam o sentido da campanha.

Ainda em polêmica com a Rede Globo, fica o tal "boicote em apoio ao Dunga". Recebi um e-mail com vários detalhes sobre isso também, porém não vamos deixar essa postagem ainda mais longa e resumir um pouco os fatos...
A Globo "desceu a lenha" na seleção e no Dunga, depois negociou com Ricardo Texeira uma reportagem exclusiva com o técnico e alguns jogadores.
Dunga se recusou.
Depois, na coletiva, todo mundo já sabe o que aconteceu (Dunga xingando Alex Escobar e a Globo criticando 'horrores' o nosso técnico). Começou aí uma "guerra" entre ele (Dunga) e a emissora (Globo).
O fato é que estão querendo nos colocar (nós, torcedores E telespectadores) no meio dessa briga.
A verdade é que:
-Os dois (Dunga e Globo) estão errados.
-A Globo se acha. Quer mandar e tão cedo não mudaremos isso.
-Dunga tem um temperamento que não é fácil, todo mundo já sabe. Exagerou xingando Escobar.
-Em termos de esporte em TV aberta só contamos com a Globo e a Band, onde a Globo é melhor. Verdade seja dita.
Acho que se quisermos mudar realmente a atitude da Globo, não temos que promover "um dia sem globo", até porque, quando se trata de esporte, a globo tem a melhor equipe, mas sim começarmos a assistir outros telejornais, aprender a pensar com as nossas cabeças, e não de acordo com o que a Globo quer, o que, sabemos, é o que muitas vezes ocorre. Que a Globo manipula, todos sabem, mas ela só consegue isso porque deixamos ser manipulados. Não é "não vamos assistir a Globo" e sim "Vou pensar além do que a Globo me diz". Não precisamos tentar falir a emissora, apenas mostrar que não somos tão "inocentes".

Grande abraço, pessoal!
Até a próxima!

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Para rir um pouco...

Programa do Jô!
Sensacional!!
Talvez vocês já tenham visto... Mas vale a pena! Muito bons!!!



ESSE VAI PRO MANIAS... hehehe



Corvo, ainda quer ser o "funcionário do mês"? hauehauehaue



NADA contra os gaúchos!! hauhueha

GRANDE ABRAÇO!!!
Até a próxima!

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Não faz sentido!

Ok! Concordo que Felipe Neto não é preferência nacional, ele é odiado principalmente por fãs dos novos sucessos pré-adolescentes e adolescentes. Confesso acha-lo um pouco exagerado, sim, ele não perdoa, fala mesmo, talvez essa sinceridade excessiva e sua coragem de falar o que pensa (incluindo palavrões) tenham feito seu sucesso. Hoje gostaria de dividir um vídeo dele que acho que vocês já devem ter assistido, e, em minha opinião faz tipo, MUITO sentido!





Eu não sou o mais culto, que escreve correto, confesso, porem, existe pessoas que exageram nos erros. De boa ler um bom livro, revistas, jornais, blogs (alguns) e até aquelas historias em quadrinhos ajudam a corrigir isso.
Na maioria das vezes sou corrigido por escrever algo errado, acho isso tão construtivo, nunca mais esqueço, e claro, cometo o erro de novo, porem, percebo que cometi eu mesmo me corrijo. Quem acompanha meu blog o UmaDoseDeAch percebe que erro muito, sempre acabo pedindo pra alguém corrigir antes, um assunto que abordei em um post foi o quanto eu odeio a nova correção ortográfica, não adaptei-me a ela ainda, e, demorara muito tempo pra isso acontecer, passei 12 anos de minha vida na escola aprendendo um tipo de ortografia, e, agora mudam tudo, enfim, voltando ao assunto, cometer erros grotescos do tipo ''MAS e MAIS'' é pura falta de leitura. Concordo que ler não é preferência de todos, porem, abandona-la trará prejuízos, tanto na escrita quando na fala. Pensem Nisso!

Uma dica de leitura pra vocês é ‘’Marley e Eu’’. Comecei a ler esse livro, e, na primeira parte já me emocionei um monte, ainda não terminei de lê-lo e farei isso apenas nas férias, porem, a historia é linda. Fica a Dica!

Fiquem com Deus||Abraço||Marcelo Soares.